Dar Sangue

By 4 de agosto de 2017MENSAGENS

“Porque vós sabeis que não é por bens perecíveis, como a prata e o ouro, que tendes sido resgatados da vossa vã maneira de viver, recebida por tradição de vossos pais, mas pelo precioso sangue de Cristo” (1 Pd 1,18).

“Dar o sangue”. Provavelmente você já tenha ouvido esta expressão, que significa esforçar-se muito por algo ou dedicar-se imensamente a uma causa. Ela é usada no ambiente do esporte, do trabalho e mesmo nas relações familiares.

Lembrar-se de pessoas que sofreram em nosso favor, ou seja, que “deram o sangue” por nós, como nossas mães, inspira em nós uma grande gratidão, não é mesmo?! Pois bem, quero neste momento ajudar-te a considerar aquilo que o Filho de Deus, nosso Senhor Jesus Cristo, um dia fez em teu favor.

Primeiro, é preciso dizer que os dias de Cristo sobre a terra foram marcados pela dor e isto tinha um propósito. Sim, ninguém mais do que Ele sofreu… Para ter alguns exemplos, veja: nasceu em um estábulo humilhante, enfrentou o ódio do governador, que decretou uma matança infernal de criancinhas no intuito de destruí-Lo, ao longo do ministério lidou com a rejeição dos Seus parentes e conterrâneos, depois das autoridades religiosas, que O acusavam e caluniavam e por diversas vezes livrou-se da morte, até que caiu, enfim, nas mãos das autoridades políticas, e, passando pela agonia e derramamento de sangue no Horto das Oliveiras, depois pelo terrível escárnio e chicoteamento, subiu o Calvário, deixando atrás de Si um rastro de sofrimento e sangue tão somente porque te ama… Até que chegou ao ápice de Sua Paixão no cruel sacrifício da Cruz, onde esteve pendurado e, completamente, transpassado, derramou todo o Seu preciosíssimo sangue e até mesmo a água de Seu Corpo.

Uma única gota já seria suficiente para salvar-nos, mas o Amor de Cristo tocou no extremo do que significa “dar o sangue”. De fato, o Senhor não poderia ter morrido de causas naturais, como doença ou velhice, por ser Perfeítissimo. Sua morte foi uma escolha amorosa, uma entrega, um sacrifício doloroso motivado por um profundo Amor. Nem foi assassinado, nem suicidou-Se; Ele entregou-Se como uma mãe é capaz de fazer – parcialmente – pelos filhos amados. Só que Ele foi além, morrendo por inimigos, pecadores, assassinos, traidores, impuros, gente corrupta!

Esteja você atualmente na graça ou no pecado, nada pode apagar o teu antecedente criminal. Todos nós um dia fomos (ou quem sabe ainda sejamos) escravos de Satanás e do pecado. É uma triste marca que permanece, tanto para que jamais esqueçamos de nossa incrível condição miserável, quanto para que tenhamos para com o Salvador uma eterna gratidão, acompanhada de uma atitude de imitação e adoração.

Ele pagou o preço de nosso resgate na Cruz. Creia neste ato de Amor e renda tua vida ao Senhor Jesus. Não há o que você possa pagar para ser livre, nem o que possa fazer em troca. Ele apenas pede que você creia Nele e o coloque no centro de tua vida, para que o restante Ele transforme, levando-o à vida.

Por fim, uma vez que você tenha compreendido o valor do sangue de Cristo e já esteja andando nos caminhos do Senhor, una-te a Ele, oferecendo também o teu sangue por amor. O que não significa desejar a morte ou provocar um martírio. Não é isso. A questão é oferecer tuas orações, sofrimentos e as contrariedadades da vida em favor da conversão dos pecadores e para o consolo do Sagrado Coração de Jesus, que tanto sofre pela indiferença e pela rebeldia dos pecadores. Se existem muitos que fazem como Judas e traem o Mestre, deixemos que o Espírito Santo nos torne como João, na última ceia, e encostemos nossa cabeça no coração de Cristo, consolando-O com nosso amor, piedade, orações, sacrifícios etc. Assim, tendo consciência de nossa união com Ele, transformaremos qualquer dor em amor, qualquer sacrifício em louvor e adoração a Deus, desde as pequenas até as grandes coisas.

Em Cristo,
Cesar Machado Lima
Membro Consagrado Efetivo

Leave a Reply