Betel, lugar de promessa, tempo de graça

Estamos chegando e iniciando mais um Betel, desta vez encerrando o ano de 2017 no qual a Comunidade andou sob a graça de At 16, 21: “E pregam um modo de vida que nós, romanos, não podemos admitir nem seguir.” Que muito nos iluminou sobre o fato de que vivemos um estilo de vida diverso daquele que a humanidade tem seguido particularmente nesta época de grande apostasia.

Chegamos nesta reta final cheios de frutos da oração e do trabalho desenvolvidos neste ano e sabemos que novidades do alto se preparam para serem derramadas sobre nós na forma de grandes chuvas de bênção, por esta razão quero compartilhar com todos que tenham uma fé expectante ancorados na seguinte promessa: “Toda e qualquer família da terra que não subir a Jerusalém para adorar o rei, Senhor dos exércitos, não receberá chuva! “ (Zc 14, 17)

A primeira leitura deste verso pode soar o aspecto negativo de que não recebe que não vai, mas está exatamente aí o aspecto positivo porque o contrário também é verdade pois quem vai adorar vai receber as chuvas imensas da graça; como na promessa de Malaquias 3, 10: “Fazei a experiência – diz o Senhor dos exércitos – e vereis se não vos abro os reservatórios do céu e se não derramo a minha bênção sobre vós muito além do necessário.”, esta é uma Palavra ligada ao ministério dos dízimos mas a experiência de Deus é porta aberta de chuvas de graças – “Provai e vede como o Senhor é bom, feliz o homem que se refugia junto dele.” (Sl 33, 9).

Portanto convido todos a não perderem esta promessa de graças e milagres, de chuvas do céu abençoando o trabalho de nossos joelhos e de nossas mãos e preparando imensas colheitas em 2018.

Subi e vereis!!

Em Cristo
Sandro F. Peres

Leave a Reply