Assembleia de Celebração

As Assembleias de Celebração são reuniões semanais nas quais os membros de todas as células do local (ex: Santo André, Botucatu etc.) se encontram na sede para juntos celebrarem os louvores do Senhor. São marcadamente espontâneas e animadas, dinamizadas por canções e alegria e centradas na glorificação do Nome do Senhor Jesus.

Sua estrutura básica acontece em quatro momentos de igual importância sendo a excelência de todos a norma de conduta a cada semana.

1. Compartilhamento
O primeiro momento desta celebração da vida comunitária é marcado pelo compartilhamento, onde todos podem se reencontrar e confraternizar com grande alegria pelos frutos da semana que terminou, que são apresentados na conquista de novos discípulos, ns acolhida de visitantes e em testemunhos de graças e partilha.

2. Louvor
Sendo uma ocasião de louvor, a Assembleia de Celebração oferece aos discípulos, com base em tudo que foi compartilhado, uma grande oportunidade de glorificar ao nome do Senhor por meio de canções e gestos de expressão comum e descontraída.

3. Ensino da Palavra
Nesse espaço celebrativo, a Palavra de Deus tem uma importância capital porque norteia o rumo da reunião, edifica os presentes e direciona a caminhada das células durante a semana, uma vez que, o que foi pregado na Assembleia será depois ruminado nos dias seguintes pelas células nas suas respectivas reuniões.

Outro aspecto muito importante das Assembléias de Celebração é que elas promovem uma maior fraternidade dos membros que semanalmente se encontram para uma oração comunitária, sendo que também estão abertas a visitantes que por meio delas podem se interessar em ingressar numa célula. São assim de um alcance duplo, tanto alimentam a comunhão e o louvor dos membros animando-os na caminhada, quanto se prestam a ganhar novos membros para o corpo.

4. Adoração ao Santíssimo Sacramento
Após o grande encontro com a Palavra de Deus, os discípulos reunidos na Assembléia expressam sua gratidão e rendição ao direcionamento por meio da Adoração ao Santíssimo Sacramento que se torna assim também um prolongamento da Santa Missa dominical que com ela colabora, procurando assim manter acesa no coração dos membros o que a Eucaristia do dia do Senhor promove.

As Assembleias de Celebração também podem, conforme a ocasião, ser Eucarísticas, quer dizer, cederem lugar à Celebração do Santo Sacrifício da Missa ou mesmo da Palavra de Deus.

Por fim, podemos dizer que as Assembleias de Celebração são um alimento indispensável para a caminhada dos membros da Comunidade, porque junto com as células formam como que duas pernas que fazem o corpo ir adiante.

Células

Célula é um grupo de relacionamento constituído de até doze pessoas (número máximo ideal), mas que pode chegar a quinze membros, reunindo-se semanalmente como uma família de Deus (cf. Ef 2, 19). Nela, se vivencia a comunhão fraterna, o louvor e a adoração, a edificação na Palavra, o evangelismo e o serviço uns aos outros, procurando aumentar gradativamente nos discípulos a comunhão com o Senhor.

As células fazem parte da vida do povo de Deus. Prova disto são os exemplos de Moisés (cf. Ex 18, 21) e, sobretudo de Jesus, que liderou os doze, a primeira célula da Igreja (cf. Mc 3, 14).

1. Onde a célula se reúne?
Priorizamos as reuniões nos lares como verdadeiras comunidades domésticas, mas a célula pode se reunir também em empresas, em escolas, em salões de condomínios, em qualquer lugar que propicie o silêncio e o bem estar dos membros.

2. Por que uma célula não pode ter mais de 12 ou até 15 pessoas?
Porque num grupo maior não há tempo suficiente para que todas as pessoas compartilhem e recebam ministração. Além disto, sendo o acompanhamento pessoal dos membros, um dos valores da visão de células, este torna-se impossível com um número elevado de pessoas. Por fim, também as casas, normalmente, não comportam mais do que este número para uma reunião agradável e bem acomodada.

3. O que a célula não é:
a) Grupo de devoção: existem muitos grupos devocionais que se reúnem nos lares. São baseados em práticas religiosas como o terço e as novenas. Certamente têm sua utilidade, mas diferem essencialmente quanto aos propósitos das células;

b) Grupo de oração: normalmente esse tipo de grupo é composto de pessoas que têm a seguinte atitude: “O que o grupo pode fazer por mim?” (Emprego, cura, conhecimento…). Um dos estágios da reunião da célula é a oração, mas não é esta a sua maior proposta;

c) Grupo de discussão bíblica: estes grupos, também conhecidos como círculos, não estimulam a comunhão fraterna. A célula, além de atender às reais necessidades das pessoas, é uma experiência aberta a acolher novas pessoas, e jamais pode fechar-se em si mesma;

d) Grupo de formação: estes grupos oferecem um crescimento espiritual num ambiente fechado e exclusivista. Na célula acontece o discipulado dos membros, mas ela não pára nisto.

Portanto, célula não é um grupo fechado de cristãos, criado só para algumas pessoas da Igreja; ela é uma pequena comunidade cristã que tem a multiplicação do corpo de Cristo como objetivo.
E embora tenha reuniões, não se limita a elas. Célula é uma comunidade viva, em ação, onde os membros são comprometidos uns com os outros, dentro e fora das reuniões. Também não são grupos paralelos à estrutura do corpo eclesial (paróquia, comunidade), mas são justamente a base vivificante deste corpo.

4. Como é uma célula?
A célula não é o corpo todo, mas traz dentro de si todas as informações necessárias para gerar um corpo inteiro. Isto é o que na biologia chama-se informação genética.

Nesse sentido, célula é uma miniatura da Igreja, reunindo-se nos lares. A célula é uma pequena comunidade e ao mesmo tempo um centro de treinamento ministerial, pois além de seus membros vivenciarem o “amai-vos” (cf. Jo 13, 34), são capacitados para o “ide” (cf. Mt 28, 19).

A célula imprime um estilo de vida nos seus membros, de modo que não conseguem separar fé e vida. Por isso, testemunham sua fé no meio em que vivem (oikos), penetrando nos variados segmentos da sociedade, como sal e luz (cf. Mt 5, 13-14).

A convivência dos seus membros é o que garante vida à célula. Nela são gerados fortes vínculos de comunhão, de amizade, de aceitação. Algumas células são homogêneas (exemplo: somente casais, jovens, mulheres…), outras heterogêneas (integrando pessoas de diferentes sexos e idades).

Serviços

Os serviços são instrumentos ministeriais pelos quais organizamos as funções na Comunidade, é onde vemos Deus atuar por meio de todos, uma vez que nos capacita e respalda para toda boa obra (cf. II Tm 3, 15). Há diversos serviços em nossa Comunidade, como liderança, música, acolhida, aconselhamento, finanças etc.

Mensalmente enfatizamos aqui no site algum destes organismos tão importantes para o funcionamento de nossa Comunidade

1 Comment
  1. FIZ PARTE DO GRUPO LEAO DE JUDA GLORIA A DEUS

Comments are closed.